Implementando o método Scrum na TI

Implementando o método Scrum na TI

  • Posted by: Iara Nunes
  • Category: Negócios, Tendências

O mercado é repleto de pressão por projetos que tenham inovação, qualidade, agilidade, o que significa maior empenho e prazos cada vez menores. Empresas de Tecnologia da Informação (TI) lidam projetos complexos que demandam planejamento, foco e ações assertivas. Suas operações são incertas e possuem um fluxo de trabalho intenso. Aqueles profissionais que desenvolvem software têm ao seu dispor práticas e métodos que podem os ajudar a melhorar a qualidade da entrega.

É por isso que as metodologias ágeis estão sendo cada vez mais utilizadas nas empresas: elas se propõem a entregar resultados assertivos em curtos espaços de tempo. Gerenciar todos os afazeres para que tudo seja entregue dentro do prazo marcado não é uma tarefa simples. Por isso é fundamental que a equipe à frente da área possa visualizar panoramicamente todas as etapas do processo.

Dessa forma, para se manter dentro das tendências e metodologias, o responsável pelo departamento não deve apenas focar em entregar as melhores soluções para o mercado, como deve também conduzir a equipe e traçar estratégias de desenvolvimento criando um modelo de negócio que fuja do convencional.

Um exemplo: você já ouviu falar em Sprint? Hoje este artigo tem como objetivo dissertar a respeito do método que envolve esta etapa do desenvolvimento e como aplicá-lo na rotina desses profissionais.

O que é a metodologia scrum?

Scrum é um framework estrutural criado originalmente para ser utilizado em desenvolvimento de software, no entanto tem sido incorporado em diversas outras áreas.  Seu princípio básico é a percepção de que o gerenciamento de projetos extrapola o conhecimento técnico e se estende para a análise detalhada das experiências anteriores.  Esse histórico será o embasamento para evitar a repetição de ações que não deram certo e indicar os próximos passos.

Trata-se de uma metodologia que tem como principal função o gerenciamento de atividades complexas, auxiliando gestores a trabalharem dentro do prazo, de orçamentos predeterminados, por meio da entrega de produtos de qualidade que atendam às necessidades dos clientes.

O modelo, inserido na metodologia ágil, tem sido largamente adotado dentro das organizações. Isso se deve, em grande parte, à sua alta performance na condução das equipes de trabalho, auxiliando na redução de ocorrência de inconsistências e adiamentos.

E por que funciona? A explicação de sua assertividade está em sua estruturação, baseada em um cronograma ágil, e na divisão das etapas do projeto em fases com duração até quatro semanas, caracterizado como um processo interativo de desenvolvimento, chamado de Sprint.

O que é Sprint?

De forma bem resumida, Sprint seria cada uma das etapas dentro de um projeto suportado pelo método Scrum, determinadas em espaços de tempo definidos, que podem variar de duas a quatro semanas.

O conceito é fundamental dentro do Scrum, sendo um dos pontos-chave. É onde os demais eventos do projeto serão discutidos, seus avanços, as melhores soluções para então obter o produto final, ou parte dele.

Dentro dos sprints devem estar inseridos direcionamentos e um conjunto de requisitos básicos que serão seguidos pelos desenvolvedores do projeto. Traçar metas é imprescindível, uma vez que essa prática impõe um ritmo acelerado de execução, trazendo mais engajamento e produtividade a todos aqueles que estão atuando na atividade.

O que é de fato relevante no Scrum?

Monitorar o andamento de cada etapa da gestão faz com que o projeto se torne mais visual, um dos ganhos do método. Algumas empresas acham complicado acompanhar a evolução do projeto, de forma que não conseguem identificar nem mesmo em que fase está seu desenvolvimento.

Ao utilizar o Scrum, há flexibilização dos prazos para toda a equipe, evitando que o resultado do projeto seja afetado por possíveis imprevistos fazendo com que ele seja feito de última hora sem a qualidade necessária. É possível preparar um método mais realista para solucionar estes obstáculos, sem a necessidade de excesso de trabalho e estresses dispensáveis.

O Scrum traz uma outra vantagem: a valorização do esforço em equipe por se basear na divisão minuciosa das etapas do trabalho com cada colaborador designado, tornando as atividades mais coletivas.

Scrum e TI

Como já dissemos, o Scrum é uma metodologia ágil de desenvolvimento de software. É fundamentado na divisão de ciclos de tempo bem definidos, os Sprints mencionados acima, em que os esforços são dedicados a alcançar objetivos bem claros.

Projetos de desenvolvimento são complexos, demorados e exigem o máximo de atenção para não gerar retrabalho. Dessa forma, deve-se focar para diminuir a existência de atritos no decorrer do processo. O método permite que as equipes sejam fracionadas e multidisciplinares, gerando mais independência e descentralização dos processos na tomada de decisão.

Assim é possível que as atividades sejam entregues muito mais rapidamente. Abre, também, a possibilidade de que projetos robustos sejam fragmentados em iniciativas menores, facilitando a realização em partes e possibilita a realização de avaliações periódicas. Trata-se, ainda, de uma maneira de diminuir o tempo de entrega, e, principalmente, aumentar a eficiência dos processos de desenvolvimento.

Esta forma de atuar e apresentar resultados é importantíssima para auxiliar na produtividade, principalmente em ambientes que possuem limitação de investimentos em grandes empreitadas.

As empresas têm aumentado o uso do Scrum e o método vem se tornando cada vez mais importante para elas. Já é utilizado na rotina de várias outras áreas, que notaram o valor do framework e aplicam seus conceitos na linha de produção.

Pela sua flexibilidade, pode ser adotado em partes e ser ajustado de acordo com os costumes de cada empresa. Na verdade, há uma série de práticas e valores que oferecem a base principal para que as empresas implementem suas condutas específicas, sendo totalmente customizado e exclusivo para cada negócio.

Benefícios da metodologia

As metodologias ágeis têm sido cada vez mais utilizadas pelas organizações, e no desenvolvimento de produtos de TI não tem sido diferente. Isso, claro, tem uma razão de ser. Os ganhos são vários: maior satisfação de clientes e aumento da agilidade nos processos. O Scrum também tem servido de pilar para que empreendedores possam lançar, no mercado, produtos e serviços com características inovadoras em um curto espaço de tempo.

Seus conceitos mostram o porquê de a metodologia ser tão assertiva atualmente: A possibilidade de aplicações é enorme, os seus benefícios não se estendem apenas ao ambiente de trabalho.

Com a finalidade de agilizar entregas, a estrutura pode ser adaptada para a implementação na gestão de TI. Confira algumas de suas vantagens:

  • Agilidade — como parte integrante das metodologias ágeis, um de seus principais benefícios é a velocidade para a entrega de tarefas;
  • Motivação — como todos os envolvidos fazem parte das decisões e são voz ativa nas reuniões, os colaboradores tendem a ficar mais motivados;
  • Visualização — todas as tarefas, suas complicações e facilidades, podem ser vistas por todos os integrantes do time de TI, o que pode ser a solução para as dificuldades;
  • Ausência de vulnerabilidades — como a qualidade é um item de grande importância em relação ao prazo, há diminuição de falhas;
  • Alteração de prioridades — por se tratar de um framework maleável, a qualquer momento podem ser feitas alterações dentro da Sprint ou dos documentos de demandas.

Além disso, o Scrum é capaz de otimizar todo o processo que envolve o desenvolvimento devido à divisão das atividades, o que possibilita maior coordenação das tarefas baseadas em períodos de tempo, além da definição de prioridades, otimização financeira e maior qualidade nas entregas.

As vantagens abordadas devem ser, e são, muito valorizadas pelas empresas uma vez que todas elas contribuem para aumento da competitividade do negócio. Diante de um mercado tão exigente, se fazem necessárias soluções efetivas e acessíveis.

Entendendo papeis

Product Owner (PO) – É quem representa o cliente dentro do time de Scrum. Ele quem irá decidir quais serão os recursos e funcionalidades do produto que está começando a ser desenvolvido. Dessa forma, este profissional será encarregado de priorizar os requisitos a serem desenvolvidos, aceitá-los ou não após a produção e fazer a ponte de comunicação entre o time de desenvolvimento e o cliente.

Scrum Master (SM) – É aquele que lidera todo o processo de desenvolvimento e a equipe dedicada ao projeto. É o principal responsável por auxiliar na compreensão e adesão às ações, princípios e valores da metodologia ágil por todos os membros do grupo.

Time Scrum – Ao contrário do que acontece em times de desenvolvimento tradicionais – em que vários papéis, como arquiteto, programador e testador são pré-definidos – em equipes que trabalham com Scrum apenas o conceito de Time de Desenvolvimento é válido. Isso porque, o time é formado por profissionais multidisciplinares que são capazes de conceber, construir, testar e validar o produto, ou seja, todos possuem habilidades para participar e contribuir com todo o processo de desenvolvimento.

Um Time Scrum tem como principal característica a capacidade de ser auto gerenciável, o que quer dizer que as tarefas a serem realizadas para atingir a meta estabelecida pelo PO são organizadas pelos próprios profissionais da equipe.

Como planejar os Sprints?

Um Sprint tem início com uma reunião em que será definido o direcionamento, objetivos de cada etapa e estabelecimento de como ocorrerá todo o processo.  Esta fase inicial é chamada de Sprint Planning. Pode ser definido com duas perguntas:

  • O que será feito?
  • Como será feito?

Neste encontro, a equipe de desenvolvimento e o Product Owner – aquele quem define os itens que compõem o Product Backlog e que estabelece sua prioridade no Sprint Planning Meetings — negociam, a partir do Backlog, o que será de fato desenvolvido.

Esta etapa é fundamental uma vez em que as definições são feitas e o processo se torna alcançável, considerando características e capacidade da equipe, além de aspectos como o tempo duração daquele Sprint.

Para facilitar o entendimento: Product Backlog é o artefato, como por exemplo um quadro de tarefas em que são inseridas as principais características e definições do que será desenvolvido. Daí, já se percebe como ele é essencial.

User Story

Dentro do processo de formulação do projeto, o termo User Story também é muito importante. Ele se relaciona diretamente com o Backlog, sendo que cada item deste corresponde a uma Story.

User Story, ou história do usuário, é uma breve descrição das necessidades do usuário e do projeto. É uma maneira de estimular a equipe de desenvolvimento a debater profundamente a respeito de mais aspectos daquela etapa, mas que por si só, não tem caráter vinculativo para mudanças no projeto.

Métricas são necessárias?

No decorrer da execução do projeto que utiliza a metodologia Scrum, é fundamental que os Sprints sejam eficazes e meçam frequentemente outros indicadores, até mesmo para que ajustem possam ser realizados.

Durante o Sprint inicial ainda não é possível gerar métricas pois neste momento as informações não estão completas. Contudo, de acordo com o avanço do projeto, os dados vão aparecendo.

Uma maneira de produzir essas métricas é por meio do uso do Story Point, que consiste em marcações das atividades concluídas durante os Sprints anteriores. Dessa forma, o time de desenvolvimento será capaz de utilizar como indicador a média da quantidade de trabalhos entregue nas últimas etapas.

Daily Scrum

Nada mais é do que a referência às reuniões diárias realizadas com o objetivo de verificar o seu progresso. É, ainda, o momento certo para avaliar o desempenho da equipe e procurar soluções para questões em aberto.

Para verificar o progresso dos Sprints, é possível ter como referência os seguintes questionamentos:

  • O que foi realizado no dia anterior?
  • O que será realizado hoje?
  • Quais são as dificuldades encontradas para avançar com o projeto?

De acordo com as respostas, o grupo será capaz de identificar se os resultados estão de acordo com o esperado e definido previamente no Sprint Planning.

Dentro do Daily Scrum é possível avaliar o progresso diariamente, não deixando este acompanhamento apenas para os momentos finais do projeto, permitindo modificações que vão garantir maior agilidade e qualidade desde o início do trabalho.

Como implantar o Scrum na rotina da empresa?

  1. Inicie por fases

Tentar inserir simultaneamente todas as etapas o Scrum como um hábito é sinônimo de fracasso. Por isso, especialistas sugerem que se utilize o método cascata, incorporando em um departamento ou área por vez e os outros seguem em sequência.

  1. Determine quem será o Product Owner (P.O.)

O P.O. é quem fica a cargo da visão. O profissional levanta os benefícios do projeto e o que é permitido ou não. Ele é a base: sem um Product Owner não há nenhum projeto a ser iniciado. Ele também é responsável pelo incentivo e motivação da equipe pelo entendimento da necessidade do cliente.

  1. Forme sua equipe

O projeto irá conter diversas etapas a serem cumpridas com excelência para que o P.O. consiga ter a visão. Quem integra esta equipe precisa ter todas as habilidades requisitadas para obter os resultados esperados, por isso é fundamental que ela esteja sempre motivada. Ela deve ser extremamente eficiente e entregar as atividades dentro os prazos, sem atraso.

  1. Quem será o líder?

Não existe grandes projetos sem uma liderança. Esse profissional é o responsável pelo andamento do projeto. Ele é quem vai guiar a sua equipe em quesitos como estrutura do processo e ajudar a eliminar empecilhos que possam comprometer o andamento do trabalho da equipe.

  1. Crie um backlog do produto

A visão do P.O. precisa ser concretizada, por isso as ideias devem estar catalogadas e ordenadas. O backlog é o monitoramento das ações, que estabelecem as features a serem implantadas e trabalhadas. Ele desenvolve naturalmente no decorrer do projeto, de acordo com o surgimento de bugs e novas funcionalidades.

  1. Programe o Sprint

O Sprint é definido logo na reunião inicial e normalmente sua duração é de duas semanas. No encontro, é determinado um Sprint Backlog, um para cada Sprint — que define a principal tarefa que deve ser cumprida dentro deste prazo.

  1. Revise o Sprint

Tão importante quanto montar o Sprint é revisá-lo. O que foi bom e deve ser feiro novamente? O que poderia ter sido melhor? Analise e coloque as melhorias em prática no próximo backlog.

  1. Daily Meeting

Reuniões diárias são fundamentais no Scrum. Deve-se saber da equipe o que foi realizado no dia anterior e concluir os objetivos, o que será feito no dia e quais impedimentos foram encontrados. O encontro deve acontecer rapidamente, com duração máxima de 15 minutos.

De maneira resumida, as metodologias ágeis são formas de gestão de projetos que vem aprimorando a área de desenvolvimento de empresas de tecnologia por organizar ambientes de trabalho por meio de qualidade na entrega em prazos mais curtos.  Na TI o Scrum é uma das ferramentas que auxilia equipes a responder rapidamente às mudanças, adaptar-se a novas realidades e estruturar as etapas de um trabalho progressivamente.

Uma de suas grandes vantagens é a possibilidade de ser inserido na rotina de projetos de todos os portes. Pode, também, ser ajustado às mais variadas necessidades e deadlines, trazendo proximidade com o seu uso e mais compreensão dos resultados alcançados.

Entendeu a importância e os benefícios que o Scrum pode trazer para o seu negócio? Com ele as empresas ganham em produtividade, qualidade, acompanhamento de indicadores, mensuração de resultados não apenas na conclusão do projeto, mas em todas suas etapas.