Qualidade, demanda de alimentação para uma população maior e preservação ambiental são preocupações relativamente novas que mudaram o cenário do agronegócio. Se até poucos anos o campo era totalmente dependente de condições climáticas e da mão de obra braçal para produzir, hoje com todas as inovações tecnológicas é possível monitorar precisamente a produção de qualquer lugar, possibilitando safras maiores que as da época dos nossos avós, resultado da maior precisão de medição e controle dos equipamentos utilizados.

Temos um dos maiores agronegócios do mundo. Contudo, apesar de todo o potencial e condições climáticas, os produtores ainda lidam com obstáculos que causam redução da produtividade e aumento de custos.

Neste cenário a tecnologia pode ser uma importante aliada!  Ela incentiva a produção, acaba com retrabalhos, além de qualificar processos. Por meio da automatização, obtém-se melhores resultados, em menos tempo e com menos recursos.  A tecnologia traz ao ambiente agro aumento da produtividade, incentivando que produtores invistam em produtos, soluções e máquinas agrícolas que lhes tragam confiabilidade, melhoria de renda e tranquilidade.

Investimento na adoção de ferramentas

O agronegócio é responsável por uma grande fatia da economia brasileira, graças a, grande parte, tecnologia, que agrega valor e traz praticidade para a execução das atividades diárias. De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o agronegócio é responsável por 42% das exportações brasileiras, atingindo US$ 102 bilhões em 2018. 

Este desempenho representou um crescimento de 6% em relação ao ano anterior e uma contribuição para o saldo positivo na balança comercial brasileira de quase US$ 90 bilhões. Estes dados, aliados ao fato do agronegócio representar 23% do PIB do Brasil, não deixam dúvida quanto à relevância do segmento para a economia nacional.

A tecnologia permite a implementação de ferramentas que trazem ganho de tempo, redução de riscos e erros e mais segurança para a parte financeira do negócio – benefícios significativos, inclusive para o meio ambiente.

Dessa forma, o produtor tem mais domínio sobre as safras, reduzindo as perdas no campo. Internet das coisas, inteligência artificial e até mesmo computação cognitiva são conceitos que vêm transformando a estrutura, trazendo mais sustentabilidade para fortalecer a competitividade no mercado.

Com o uso de dados, GPS e ferramentas no campo, é possível compreender fatores relacionados ao solo, como por exemplo informações nutricionais do que está em produção e os demais elementos, que, se negligenciados são capazes de comprometer gravemente o andamento das atividades.

Já existem aplicações que emitem alertas ao produtor sobre a época exata para colocar a vaca para produzir leite ou o momento mais adequado para desmamar um bezerro, por exemplo.  Na agricultura, utiliza-se sensores para medir em tempo real temperatura, nutrientes no solo, e indicar irregularidades.

Gerencia-se, por exemplo, a produção de maneira assertiva e para alcançar resultados mais satisfatórios. Quanto mais eficiência houver na aplicação dos recursos, maior a chance de garantir a qualidade do resultado.

Por que é importante adotar tecnologia no agronegócio?

Ferramentas criadas com tecnologia atualizada facilitam a realização de tarefas, das mais simples às mais complexas, trazendo aumento da qualidade e eficiência, e reduzindo consideravelmente o consumo de recursos como água, energia e combustível.

A quantidade de benefícios é grande e tem motivado produtores rurais a dedicarem esforços na obtenção de produtos, serviços e máquinas agrícolas de primeira linha, além da tecnologia da informação, ferramenta importante não apenas para a categoria, mas para todos os negócios.

                A evolução tecnológica do setor contribui significativamente para proporcionar aumento da renda e melhoria da qualidade de vida dos produtores, atraindo mais investimentos para este ramo de atividade.

Vale a pena o investimento?

Para se destacar diante dos concorrentes, novos sistemas de gerenciamento foram desenvolvidos, trazendo significativas transformações ao setor. E mesmo assim hoje, produtores rurais, consultores agrícolas e diretores de companhias agro buscam especializações para conhecer as novas demandas tecnológicas.

Assim, criou-se cada vez mais espaço para a agricultura de precisão, com a finalidade de reduzir custos, aumentar a produção através de ferramentas que envolvem tratores inteligentes, GPSs, controladores de aplicação e análises de solo dentre outros.

Tudo isso é inserido na rotina agrícola com uma só intenção: compreender as necessidades que devem ser corrigidas. Quanto maior o número de ferramentas, mais informações. Quanto mais dados, mais efetividade no resultado.

Agronegócio e tecnologia: aliados há muito tempo

Ainda nos anos 90 a agricultura começou a ter a tecnologia como ferramenta, com a inserção de máquinas para plantação e colheita. Naquela época tratores, colheitadeiras e semeadoras já utilizavam GPS, permitindo que os agricultores aumentassem a produção e que os desperdícios reduzissem consideravelmente.

Desde então, as inovações se tornaram mais arrojadas e inteligentes. Buscar na tecnologia uma aliada é ação obrigatória para sobreviver e ser competitivo. E para estar inserido nesse contexto, empresas investem agressivamente ao adotar tecnologias inovadoras.

Mais conexão, mais colheita

Quando se fala agronegócio automaticamente pensamos em controle de pragas, afinal este é um grave problema enfrentado por todos os produtores. No entanto, a tecnologia não é uma aliada apenas no combate a essas pestes. O brasil vem aumentando cada vez mais o uso de técnicas criativas que tragam bons resultados a todas as frentes do agronegócio.

Todas as inovações são implementadas com a finalidade de lidar com a competitividade existente no setor. O produtor rural, assim como qualquer outro profissional, deve se especializar e conhecer o que há de novo para a sua área de atuação.

Dessa forma, a agricultura de precisão, por exemplo, otimiza sistemas utilizados na agricultura com enfoque na individualidade produtiva, além dos fatores envolvidos no processo, incluindo as suas variações que podem trazer interferências na produção.

Pesquisa e tecnologia

Muitos negócios buscam meios para inserir inovações e tecnologia através de programas de pesquisa. Isso é fruto também do avanço na gestão empresarial que precisa se adequar a implantações e certificações, como a ambiental, normas governamentais e socioambientais, e assim aumentar seu diferencial competitivo.

Uma boa ação é o constante acompanhamento da produção, feito desde a identificação do boi dentro da fazenda, assim que ele recebe um brinco eletrônico, até atingir determinado tempo de vida, quando um chip é colocado nele. Dessa forma, é possível supervisionar todo o histórico genético, sanitário e de manejos dos animais.

Os produtores brasileiros já utilizam tecnologias deste tipo obtendo mais eficiência, segurança e satisfação do consumidor final, devido ao selo colocado na embalagem da carne.

Outra maneira eficiente do uso da tecnologia são a inserção de tablets, que já vêm com programas que operam também quando estão off-line. Eles possibilitam o controle de pragas, de aplicações e o monitoramento de indicadores de fertilidade e umidade.

Conectividade no campo

A adesão da tecnologia no campo é cheia de especificidades devido às atividades inerentes ao setor, como o próprio manejo, demandando uso de sistemas intuitivos e de fácil manuseio, simplificando o dia do trabalhador e do empresário, independente do porte da sua produção.

Sendo assim, são várias as razões que justificam a adoção da tecnologia para a gestão no campo. Com um sistema customizado de acordo com as necessidades, há diminuição de custos em insumos, manutenção e logística.

Dentro dessa nova realidade mundial, as tecnologias envolvidas vão desde satélites tradicionais e de baixa órbita, passando por mapeamento aéreo para pulverização de precisão, além de aviões comerciais equipados com câmeras, aproveitando as tradicionais rotas para obter imagens diárias das áreas agrícolas.

Soluções de conectividade, como redes mesh e redes de sensores de longo alcance possibilitam o recebimento e envio de dados, ideais para a falta de cobertura de sinal 3G no campo.

Os maquinários agrícolas também têm na tecnologia uma aliada, grandes centrais tecnológicas cada vez mais conectadas e que reportam dados em tempo real. A maior novidade está nas máquinas sem piloto, chamadas de autônomas, guiadas por GPS que chegam a funcionar 24 horas por dia.

Diante de um cenário tão competitivo, o empresário do campo tem ciência de que apenas investindo em inovação terá sucesso em remunerar seu capital imobilizado e condições de manter custos baixos e boa rentabilidade.

Agricultura de precisão

Agricultura de precisão é um termo bastante conhecido para o agronegócio. Através de uma análise minuciosa, obtém-se diminuição de custos, redução de riscos da atividade agrícola, mais produtividade na lavoura, proporcionando mais tempo livre para o trabalhador.

O Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) criou, em 2012, a Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP) que conta a participação das principais representações do setor.

A comissão é de caráter consultivo e propositivo e seu objetivo é fortalecer as ações envolvendo pesquisa, ensino e criação de tecnologias voltadas ao setor.

Seu foco é a promoção do desenvolvimento sustentável e social e a competitividade do agronegócio na sociedade, além de verificar quais são as necessidades do segmento, gerar e adaptar conhecimentos e tecnologias com custos e benefícios equilibrados.

Há ações estratégicas da agenda política pensadas para o setor até 2030, e quem traz mais benefícios para a evolução do processo é a tecnologia. Assim, é mais fácil atuar com precisão, pois há, por meio do gerenciamento de dados, respostas satisfatórias para a lucratividade, evitando desperdícios na produção.

Há evidências que apontam que a tecnologia e a bioeficiência têm potencial para crescer muito no Brasil através da combinação dos softwares e do monitoramento intermitente.

Segundo dados publicados recentemente, cerca de 67% das propriedades agrícolas do País fazem uso de algum tipo de tecnologia, seja na área de gestão dos negócios ou nas atividades de cultivo e colheita da produção.

Com a agricultura de precisão obtém-se um conhecimento vasto para auxiliar na produção, facilitando a tomada de decisão no processo. Além do mais, um sistema colabora positivamente ao possibilitar tratamento diferenciado para cada coisa, agindo em suas variações. Assim, é possível alcançar mais produtividade para todos.

É ainda papel desse tipo de agricultura tratar a diversidade no campo, oferecendo mais insumos para áreas de maior produção, tornando esses espaços mais produtivos ainda, e trazendo, por outro lado, redução da adubação em áreas com menor potencial produtivo.

O uso de um sistema traz outras vantagens como aumento da capacidade e flexibilidade para a distribuição dos insumos, aplicação localizada para sustentar a produtividade, ajudando o meio ambiente.

Através da agricultura de precisão é possível diminuir gastos, mitigando riscos oriundos do uso da informação, elevando a produtividade da lavoura, mais tempo livre para o agricultor, além de melhorias no meio ambiente pelo menor número de agrotóxicos.

A tecnologia, assim como os sistemas de gerenciamento, tem apresentado resultados satisfatórios para o setor agro, trazendo lucratividade e evitando que haja desperdícios durante a produção.

O negócio permite que o gerenciamento do campo ocorra de forma precisa, aplicando os insumos e recursos no local adequado com a finalidade de mitigar perdas e aumentar a produtividade.

Dessa forma, a agricultura de precisão consegue otimizar sistemas utilizados no meio agrícola com foco no manejo das diferenças produtivas, além de fatores que envolvem processo, inclusive as variações, que acabam causando diferenças na produção.

Controle de múltiplas propriedades

A inserção da tecnologia no agronegócio oferece ganhos significativos permitindo que a operação seja executada de maneira sustentável. Isso porque processos bem definidos evitam imprevistos e embasam o planejamento das ações para que tudo aconteça corretamente.

Antes, produtores que mantinham várias fazendas precisavam visitar cada uma individualmente para averiguar o status de cada atividade. Dessa forma, a aquisição de novas tecnologias possibilita o gerenciamento à distância de inúmeros locais, monitorando em tempo real o que acontece com o negócio.

Os dados obtidos e armazenados no sistema podem ser aproveitados para analisar os gastos de produção, além de conhecer precisamente o quanto é gerado financeiramente.

Para alcançar sucesso na gestão do agronegócio, é imprescindível o acompanhamento dos dados. Por meio da inserção da tecnologia no campo, é possível acessar e monitorar importantes indicadores a fim de compreender a realidade sem enganações.

Há no mercado softwares com interfaces bastante intuitivas, que exigem apenas a inserção de informações e interpretação de resultados para a tomada de decisão. Com interesse e disposição para aprender, eles podem ser facilmente adquiridos.

Reduzir custos

Coordenar as horas efetivamente trabalhadas ou até mesmo monitorar o que está sendo feito são operações que demandam mais esforço do que parece.

Neste cenário, uma solução de apontamento eletrônico é uma ótima escolha para gestores que precisam acompanhar e fiscalizar a produção, trabalhando com os custos e cronograma definidos previamente.

Por meio de soluções instaladas no próprio smartphone, pode-se coletar informações instantaneamente e enviá-las automaticamente ao sistema. Dessa forma, o produtor terá em mãos o monitoramento não apenas da produção, como de prazos, orçamentos e dos demais dados expressivos para a rotina de trabalho.  

Ao investir em automatização, o produtor passa a ter mais controle do que é executado, oferecendo maior domínio operacional, trazendo mais aproveitamento e desempenho para a sua rotina.

Com informações confiáveis na tomada de decisão, o nível de assertividade aumenta consideravelmente. Ferramentas como GPS nos veículos, equipamentos interconectados e sensores multiespectrais possibilitam um acompanhamento eficaz das safras individuais.

No campo, a tecnologia ainda consegue ser muito eficaz para aprimorar a análise da acidez do solo e a identificação das necessidades de nutrientes, por exemplo.

Mais produtividade

A tecnologia possibilita que a produção seja mais ágil e efetiva por meio do melhor uso da mão de obra, a tornando mais eficiente, oferecendo melhores números para o campo e otimização dos processos por meio da mecanização.

Poder contar com um panorama claro e detalhado auxilia no gerenciamento dos trabalhos e permite elaborar estimativas de produção mais fiéis à realidade. Com a adoção de aplicativo e softwares tem-se nos algoritmos um importante aliado para conseguir dados que poderão ser usados no momento de tomar decisões, aumentar a produção e a sustentabilidade agrícola.

A contar da adoção de ferramentas de suporte aos produtores no seu cotidiano, como gerenciamento de áreas agrícolas, a tecnologia no agronegócio é a alavanca para uma produção sustentável. É o caminho para a adequação ao cenário mundial pelo aumento da demanda de alimentos com o uso de recursos sustentáveis de produção.

As máquinas irão substituir a mão de obra humana?

Um argumento muito comum atualmente que envolve a implantação da tecnologia no campo é a possibilidade da substituição da mão de obra humana. Mas essa crença é um mito. Na verdade, as máquinas vieram para apoiar a atividade para uma colheita de mais qualidade, de mais precisão, e agilidade.  Assim, a mão de obra humana é imprescindível no acompanhamento de todo o processo do plantio, possibilitando a tomada de decisão rápida, aprimorando os processos de produção e entrega. 

Como melhorar o monitoramento de insumos?

Como já dissemos anteriormente, a inserção da tecnologia na rotina do campo traz mais conhecimento ao produtor a respeito do que é produzido.

Isso significa que os sistemas possibilitam conhecer precisamente a capacidade para distribuição de insumos, garantindo uniformização da produtividade e correção de imprevistos.

Sendo assertivo na escolha da tecnologia, é possível aplicar insumos corretamente, no momento e quantidades mais adequadas, proporcionando diminuição nas chances de não ter matéria-prima ou outros insumos disponíveis.

O processo logístico está exposto a inúmeros riscos, como falhas produtivas, insatisfação dos clientes ou até mesmo má qualidade dos serviços, o que pode acarretar em perdas, retrabalhos, excessos ou falta de mercadorias.

Esses fatos elucidam sobre como a tecnologia pode ser uma importante parceira para otimizar a produtividade, para aumentar o retorno sobre o capital investido, e para a redução de custos que, em muitos casos, são desnecessários.

Como o que é produzido no meio agrícola dá origem a uma enorme quantidade de informações, um sistema para automatizar todo este processo é mais do que bem-vindo, é essencial.  

Esse apoio será responsável pela leitura de todos esses dados, filtra-los de acordo com a sua relevância, e apresentar claramente para o administrador o que de fato é importante.

Depois de ler este conteúdo, acreditamos que você ficou convencido do quanto a tecnologia ajuda na execução das atividades do campo. Se o seu negócio já tem uma tecnologia forte, ou se você tem alguma outra contribuição para fazer, deixe o seu comentário!